Como seu Altedes aumentou a produção de leite das vacas no período de estresse térmico?

Com redução na produção de leite no período de estresse calórico, entenda como seu Altedes contornou o problema e conseguiu aumentar a produção de leite das vacas. 

Seu Altedes é proprietário da Fazenda São Francisco, localizada em Ilicínea / MG, é produtor de leite a mais de 20 anos, e produz 5.500 litros de leite/dia com 170 vacas em lactação em Compost Barn.

Com a queixa de baixa produtividade no verão, decorrente do estresse térmico dos animais, procurou nossa equipe para entender melhor sobre as estratégias para contornar a situação e melhorar o bem-estar e produção das vacas. 

Em 2018 começou a utilizar Levumilk nos lotes pré-parto e lactação, e a partir daí, aumentos significativos de produção de leite foram verificados até o ano de 2022. Seu Altedes relata que além da maior produtividade dos animais, observou redução na frequência respiratória das vacas no período de estresse térmico. 

“Estamos utilizando Levumilk em torno de 8 anos já e o resultado que temos enxergado, principalmente em vacas de alta produção, é que a vaca fica muito mais fresca, sente menos calor, produção de leite aumentada”

Por que usar Levedura Viva para amenizar os efeitos do estresse térmico nas vacas?

Vacas em estresse térmico consomem menos alimento, resultando em menor produção de leite. A redução no consumo pode chegar em até 50% em lugares onde não há qualquer manejo de resfriamento dos animais. Junto a isso, aumenta o gasto de energia pela vaca para mantença. 

Toda essa mudança afeta a digestão, absorção, metabolismo e saúde da vaca, causando um desequilíbrio total do organismo. O estresse térmico causa deficiência imunológica nas vacas, deixando essas mais propensas à aquisição de doenças.

O objetivo de todo produtor é usar estratégias para prevenir a queda de consumo dos animais, a queda na produção de leite e manter a saúde do rebanho. Para isso, alguns manejos para resfriamento do rebanho são adotados, além de estratégias nutricionais para auxiliar na função ruminal dos animais para melhor digestão e aproveitamento dos nutrientes e melhor a saúde das vacas. 

O fornecimento de levedura viva (Saccharomyces cerevisae) para vacas em estresse térmico tem como objetivo melhorar o processo de digestão ruminal (controle do pH ruminal, melhor utilização do nitrogênio), resultando em aumento na produção de leite. 

A melhora na função ruminal faz com que a vaca tenha menor incremento de calor corporal no processo de digestão, com isso ela gasta menos energia no processo digestivo como um todo, aumentando eficiência alimentar através da otimização do ambiente ruminal. 

Outro fator importante é com relação ao aumento dos teores de niacina quando as vacas são suplementadas com levedura viva. Essa vitamina tem função vasodilatadora periférica, reduz a temperatura corporal e aumenta o conforto térmico através da habilidade de troca de calor com o ambiente.

Leveduras vivas, além dos benefícios no rúmen, também são fonte de Mananoligossacarídeos e B-glucanas quando morrem e vão para o intestino. Esses compostos ajudam a manter a microbiota intestinal saudável, combatendo bactérias patógenas, além de estimularem o sistema imune, melhorando a saúde e resistência das vacas. 

O que devo saber antes de usar Levedura na dieta das vacas?

Levedura viva tem ação diferentes de cultura de levedura (levedura morta), sendo que a levedura viva consegue modular a fermentação ruminal, selecionando bactérias benéficas para melhor degradação do alimento, controle de pH ruminal, e aumento da digestibilidade do alimento. Além disso quando morrem são fonte de Mananoligossacarídeos e B-glucanas. 

Para conseguir amenizar os efeitos do estresse térmico e aumentar a produção de leite das vacas nessas condições, o uso da levedura é essencial. Mas fique atento, a concentração da levedura deve ser alta, e a dosagem diária. 

Levumilk tem alta concentração de leveduras vivas (20 bilhões de UFC/g de produto) e garante rápida colonização ruminal e rápido efeito na melhora da eficiência alimentar das vacas.

Resultados da Fazenda de Seu Altedes

Seu Altedes começou utilizar Levumilk em 2018, utilizou nos lotes pré-parto e lactação e vem utilizando até hoje devido aos resultados positivos. Os dados abaixo correspondem ao período de verão dos anos de 2018 a 2022 (meses de outrobro, novembro, dezembro, janeiro, fevereiro e março).

O gráfico abaixo mostra o aumento da produção de leite no rebanho em lactação com o tempo de uso do Levumilk. Em 2022 a fazenda alcançou um aumento de 3,6 L/vaca/dia comparado com 2018, melhorando a produção das vacas no período de estresse térmico. 

Avaliando 20% das vacas que mais produziram leite na fazenda durante esse período, o aumento da produção de leite delas foi de 7,1 litros de leite/vaca/dia de 2018 para 2022.  

Outro resultado expressivo foi possível verificar quando olhamos para as vacas que produziam + 40 litros de leite/dia, além, da média de produção aumentar de 42,3 para 45,4 litros de leite/vaca/dia, o número de vacas que produziram >40 litros de leite/dia, aumentou de 6 vacas para 32 vacas.

Claro que muitas mudanças de manejo aconteceram na fazenda durante esse tempo, mas nenhuma melhoria em resfriamento foi feita para amenizar o estresse térmico, apenas uso de estratégias nutricionais. 

Compartilhe

FIQUE ATUALIZADO SOBRE NOVIDADES

Receba atualizações gratuitas em seu e-mail

Linha Jansen, s/n, Segundo Distrito Farroupilha — RS — Brasil

SIGA A KERA NAS REDES SOCIAIS

Rolar para cima